Vendas do retalho português recuperam ligeiramente em setembro

As vendas no comércio a retalho, em Portugal, aumentaram 0,2% em setembro, em termos homólogos, taxa 4,5 pontos percentuais (p.p.) superior à observada no mês anterior, avançam os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A evolução do índice agregado revela que o agrupamento dos Produtos Não Alimentares registou uma variação negativa de 1% (-6% em agosto). Já os Produtos Alimentares tiveram um aumento de 1,7% em setembro (-2,2% no mês anterior).

A variação em cadeia do índice agregado situou-se em 1,9% (-1,2% em agosto). O agrupamento de Produtos Alimentares passou de uma diminuição de 1,4% em agosto para um aumento de 2,6% em setembro, enquanto os Produtos não Alimentares aumentaram 1,3%, após a redução de 1% no mês precedente.

Retalho_PT_3T_2020_INE

Em termos nominais, a taxa de variação homóloga do índice agregado teve um aumento de 3,9 p.p., para -1,8% em setembro. As variações dos índices dos agrupamentos Produtos Alimentares e Produtos não Alimentares situaram-se em 1,7% e -4,6% respetivamente (-2,1% e -8,7% em agosto, pela mesma ordem).

Analisando o 3.º trimestre deste ano, o INE indica que as vendas no comércio a retalho contraíram 2,2% em termos homólogos (-13,2% no trimestre anterior). Ambos os agrupamentos (Produtos Alimentares e Produtos não Alimentares) registaram acréscimos, de 1,8 p.p. e 18,0 p.p. respetivamente, fixando-se as taxas de variação em -0,1% e -3,9%, pela mesma ordem.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui